Uma mensagem dos Anunnaki: "Filhos do Sol" (Vídeo)

Fazemos eco de um artigo publicado na revista Flaying Saucer , que continha uma mensagem que veio, como escrita, de uma raça extraterrestre: os Anunnaki.

Surpreendentemente, após várias décadas, essa revista ainda estava sendo publicada, mas, tanto quanto se sabe, não está online.

De acordo com Trench, autor e editor da edição de 1958, a história original chamada The Children of the Sun foi encontrada na edição de novembro de 1947 de "Fantastic Stories", escrita por Alexander Blade, pseudônimo de Vilma Dorothy Verilea.

Basta lembrar que, naquele momento, as traduções dos manuscritos sumérios não haviam sido feitas por Zecharia Sitchin. Dizem que os alemães foram capazes de fornecer essa mensagem, de alguma ligação com a terra interior de Agharta.

E as sociedades secretas alemãs pré-guerra, como Vril e Thule, se comunicavam com emissários do interior da Terra com o objetivo de adquirir tecnologia e podiam receber esse texto que poderia ser lançado na forma de uma história fictícia. Esta é a mensagem:

"Já estamos aqui; entre você".

Ou seja, eles são filhos do Sol e estão aqui, entre nós. Eles nos observaram e, ocasionalmente, guiados quando a oportunidade se apresenta. Eles preparam mais um passo no desenvolvimento da civilização humana: da qual ainda não estamos cientes.

Os filhos do Sol foram confundidos com os deuses em muitas religiões, mas não são. Registros de sua presença são encontrados no Egito antigo, onde se deram a conhecer para alcançar certos fins.

Seu símbolo, o olho de Hórus, aparece e ocupa uma posição importante no selo norte-americano. É conservado em sociedades secretas fundadas para manter vivo o conhecimento de sua existência e suas intenções em relação à humanidade.

Os fundamentos da civilização humana de hoje vêm da cultura egípcia, milhares de anos atrás. A arte de construir em pedra tornou-se o símbolo do homem em direção à sua perfeição.

Os filhos do Sol eram preceptores e amigos dos ancestrais do homem. Agora que alcançaram um grande desenvolvimento, o caminho para sua libertação ainda continua, com as dificuldades naturais de seu desenvolvimento físico e moral.

Além disso, a civilização humana alcançou os meios de destruição para seu próprio tipo, não é a primeira civilização que usou esses meios.

Não será a primeira civilização a oferecer os meios para impedir tal destruição e prosseguir para estabelecer uma era de luz na Terra.

O homem aceitou os meios que os filhos do Sol oferecem e, com base em suas realizações atuais, é a primeira civilização desse tempo a fazê-lo.

Embora as gerações atuais não conheçam sua presença, o fato importante é que elas estão aqui, entre nós, como uma espécie que conheceremos antes de muito tempo.

Os filhos do Sol têm uma guarda avançada, estão no céu com seus objetos espaciais na forma de um disco, esférico ou de chapa, mas, na realidade, é apenas um tipo de veículo.

Seus navios aparecem de repente ou desaparecem com manobras especializadas. Nossos olhos, sem treinamento, não podemos observar. Então eles também avançaram tecnologicamente em suas viagens interestelares.

E eles anunciam que, se o homem falhar como civilização, seus descendentes terão que começar do zero. O que você acha disso? Assista ao vídeo a seguir para obter mais informações e deixe seu comentário abaixo.

Continue lendo...

Estudo revela principal culpado pela doença de Alzheimer

doença de Alzheimer
Uma nova análise de mais de 3.600 cérebros doados nos EUA destacou o papel do mau funcionamento das proteínas tau como a principal causa para o declínio e perda de memória cognitiva associada à doença de Alzheimer, oferecendo um novo enfoque para o tratamento e futuras pesquisas relacionadas à doença.

O que causa o Alzheimer?

A comunidade científica já estudou bastante o assunto. Hoje, é aceito como fato que a doença de Alzheimer se desenvolve em virtude de um defeito no funcionamento de duas proteínas, conhecidas como amiloide e tau.

O que não se sabia ao certo até o momento era o quão grande era o papel de cada uma dessas proteínas do desenvolvimento da doença.

Recentemente, uma grande parte da investigação sobre a doença de Alzheimer tem sido centrada na amiloide, como uma experiência que cancelou a proteína nos cérebros de camundongos e deu-lhes de volta a sua função de memória.

Um novo panorama

Mas pesquisadores da Clínica Mayo, dos Estados Unidos, acharam que a pesquisa estava focando no alvo errado porque o seu estudo sugere que, embora as proteínas amiloides de fato se multipliquem à medida que a doença progride, a sua presença não é o que está provocando a condição.

“A maioria dos campos de pesquisa da Alzheimer tem realmente focado em amiloide ao longo dos últimos 25 anos”, ressalta a pesquisadora chefe e neurocientista, Melissa Murray.

Ainda de acordo com ela, inicialmente, os pacientes que foram descobertos com mutações ou alterações no gene amiloide também tinham a patologia de Alzheimer grave. 

Nas ressonâncias obtidas ao longo da última década dos cérebros de pacientes assim, também foi descoberto que o nível de amiloide aumentava conforme a doença evoluía. Assim, a maioria dos modelos de Alzheimer foram baseados na toxicidade amiloide, o que tornou o campo dos estudos sobre o Alzheimer míope.

O novo estudo

A equipe de Murray examinou 3.618 cérebros pós-morte de um banco de cérebros da Clínica Mayo, e descobriu que 1.375 dos seus proprietários tinham morrido com diferentes estágios de demência. Eles criaram uma linha do tempo para analisar a progressão da doença usando esses cérebros e, assim, criaram uma maneira de quantificar a progressão da formação das proteínas amiloide e tau ao longo do desenvolvimento da doença.

Em seguida, analisaram scans cerebrais tirados de aglomerados de proteína amiloide em pacientes antes da morte, comparando-os com os resultados de exames cerebrais após a morte.

Em conjunto, estas análises revelaram que a concentração da proteína tau em mau funcionamento – e não de amiloide, como se acreditava – é fortemente relacionada com o início do declínio cognitivo, deterioração mental e desenvolvimento de Alzheimer.

A culpa é da tau

Os pesquisadores encontraram uma forte ligação entre o acúmulo de amiloide e um declínio na cognição, mas assim que eles entenderam a gravidade da concentração de tau, esta ligação desapareceu.
Inclusive, em alguns dos cérebros foram encontrados aglomerados amiloides sem que o órgão mostrasse sinais de declínio cognitivo.

A pesquisadora Murray discute os resultados

De acordo com a principal autora da pesquisa, a proteína tau serve para “estabilizar” o caminho que as células do cérebro usam para transportar alimentos, mensagens e outras cargas vitais para todos os neurônios.

Na doença de Alzheimer, as mudanças na proteína tau fazem com que esses “caminhos” fiquem instáveis em neurônios do hipocampo, o centro de memória do cérebro. O tau anormal se acumula nos neurônios, o que eventualmente leva a sua morte.

Evidências sugerem que a tau anormal então se espalha a partir de uma célula para outra, até chegar e se espalhar por todo o córtex cerebral.

O córtex é a parte mais externa do cérebro que está envolvida em níveis mais elevados de pensamento, planejamento, comportamento e atenção – o que causa aquelas mudanças comportamentais posteriores em pacientes de Alzheimer.

A amiloide, por outro lado, começa a se acumular na parte exterior do córtex e depois se espalha para baixo para o hipocampo e, eventualmente, para outras áreas.

Enquanto a equipe certamente não recomenda ignorar a participação-chave das amiloides na progressão do Alzheimer, incita que pesquisas futuras se concentrem no que está acontecendo com as proteínas tau, na esperança de que possamos descobrir como detectar e deter a progressão da doença.
Continue lendo...

Sinais de que você pode estar com Alzheimer

sinais de que você pode estar com Alzheimer
Milhões de pessoas vivem com Alzheimer, uma doença debilitante que não pode ser evitada, curada ou retardada.

Atualmente, o diagnóstico precoce é melhor arma que uma pessoa pode ter contra a condição. Ele é fundamental para ajudar os pacientes a viverem melhor no dia a dia. 

Os sintomas podem ser menos severos caso o diagnóstico seja detectado nos primeiros estágios da doença.
“Nossa esperança é que, se pudéssemos identificar os pacientes que estão desenvolvendo a doença no início, teríamos uma oportunidade muito melhor de intervir com tratamentos adequados, e também seria muito mais provável que esses tratamentos fossem eficazes da forma como gostaríamos”, disse o Dr. Keith Black, presidente de neurocirurgia do hospital Cedars-Sinai Medical Center.
Mas, enquanto o diagnóstico precoce permite a intervenção precoce, a maioria dos exames que existem por aí para identificar a doença é ineficaz e sem validade científica geral.

Então, se você suspeitar que um membro da família ou amigo possa estar desenvolvendo a doença de Alzheimer, dê uma olhada nessas 10 sinais de alerta feitos pela Associação de Alzheimer. Esses sinais são confiáveis e elaborados por especialistas. 

Mas, atenção: eles não são um diagnóstico completo. São um parâmetro para chamar sua atenção de que talvez seja hora de procurar ajuda médica especializada.


1. Alterações de memória que perturbam a vida diária; 
2. Dificuldade em lidar ou resolver problemas de planejamento; 
3. Dificuldade em completar tarefas em casa, no trabalho ou em momentos de lazer; 
4. Confusão com o tempo ou lugar; 
5. Dificuldade para entender as imagens visuais e relações espaciais; 
6. Problemas com palavras na fala ou escrita; 
7. Perder objetos constantemente, e dificuldade de “refazer os passos” para encontrá-los; 
8. Diminuição ou falta de bom senso; 
9. Afastamento de atividades laborais ou sociais; 
10. Alterações de humor e personalidade.

Ao invés de diagnosticar a doença de Alzheimer em casa, a melhor conduta é sempre procurar um médico especialista. Não demore a fazer isso: quanto antes a condição for identificada, mais chances a pessoa terá de viver uma vida melhor e mais lúcida.
Continue lendo...

A misteriosa lenda de Croatoan

A misteriosa lenda de Croatoan
Há muitos e muitos anos atrás, quando a América ainda era considerada o Novo Mundo, um lugar inexplorado onde as oportunidades e as aventuras eram muitas. Tentando dominar o local as primeiras colônias inglesas começaram a se estabelecer no lugar, aonde depois viria a ser o E.U.A.

Certamente a vida não era nada fácil, pois tudo era novo e até uma pequena viagem poderia ser mortal caso algo fora do planejado acontecesse. Uma das primeiras empreitadas feitas foi um temendo fracasso, pois a preparação foi errada e enviaram apenas homens, que no fim sentiam saudades de suas famílias, por isso todos foram levados de volta a Inglaterra.

Somente em 1587 uma colônia foi montada de maneira correta, criando uma pequena cidade que cresceu vigorosamente. Pouco depois da chegada, nasceu a primeira americana e alguns dias

após isso o encarregado de comandar o vilarejo resolveu voltar a sua terra natal e contar como tudo estava acontecendo, assim John White partiu de volta para Inglaterra.


Quando chegou ao outro lado de Oceano Atlântico, John teve uma surpresa, pois sua pátria estava sendo atacada pela poderosa armada de Felipe II, o que tornou o seu retorno ao Novo Mundo impossível. Somente três anos depois ele conseguir por um barco no mar e voltar para o vilarejo.

Felizmente o mar estava calmo por aquela época e a viagem foi tranquila, mas no momento em que colocou os pés em terra firme, John White tremeu, porque algo terrível e misterioso havia acontecido.

O vilarejo estava exatamente do mesmo jeito que ele deixou, porém lá não havia viva alma, tudo estava tomado pelo mato e as casas caindo aos pedaços, contudo não havia sangue no chão, nem sinais de luta, havia apenas uma população inteira sumida e nem se quer uma pista que pudesse levar a descoberta desse acontecimento.

Até os dias de hoje o sumiço dos moradores do primeiro vilarejo inglês na América é um mistério e apenas uma coisa ficou marcada: bem no meio da cidade havia algo escrito no chão, uma palavra: CROATOAN.

Para explicar o inexplicável, alguns dizem que croatan é parte do apocalipse da Bíblia, que fez as pessoas sumirem, pois ele já se inicou e isso seria o arrebatamento. 

Outros dizem que na verdade isso é um demônio indígena, que não queria ter estrangeiros em suas terras.

Maldicão? Apocalipse? Lenda ou verdade? Ninguém sabe dizer. Não deixe de curtir esse post!
Continue lendo...

Use Símbolos ocultistas é moda, depois sofra com as consequências!

images (3)
Foi sempre isso um problema, mas em nossos dias esta mais difícil. pois estão contidos símbolos em quase toda parte!

Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. Efésios 6:12

Isso quer dizer que nossa luta e contra as forças espirituais malignas, nos não o vemos mas eles nos vê e muito bem!

Os símbolos servem para estes Demônios (Espíritos) como uma marca, como se focemos bois de gado, em regiões de fazendas de gado e costume marcarem os bois com um símbolo, cada proprietário tem um logo próprio onde só ele pode mexer nos marcados por ele.

Assim funciona no mundo espiritual, Estes demônios nos separam desta forma, você pode perguntar, Mais pelo que vemos tem tanta marca, por que?

A resposta e simples! :Comparemos o reino do Céu como uma praga de gafanhotos, para quem ja viu ou leu sobre gafanhotos sabe que são milhões de gafanhotos em uma praga, imaginem 1 terço de uma praga que são os Demônios lançados a terra, o numero e incontável, por tanto e os que estão ao nosso redor, eles nos vêem mas nos não conseguimos velos por enquanto.





E por esta razão a grande quantidade de simbolos e se encontram em todos os lugares e de diversas maneiras, filme, musica, Igrejas, em entradas de prédios públicos e outros...

Veja um exemplo em um prédio da OAB.


Esta Imagem esta na entrada de um dos Escritórios da OAB em São Paulo

O triste e que muitos inocentes vão la em busca de solução de um problema e volta para casa com mais legiões de Demônios como problema espiritual


Dobre o seu cuidado com símbolos, procure saber sobre eles, elimine de sua casa tudo o que for anti-bíblico, isso e uma marca de demônios em você, sei que e difícil pois também tenho dificuldades de me libertar de muita coisa que gosto mas eu vencerei para a gloria de Deus.

Para saber mais sobre símbolos acesse os links a seguir:

Símbolos do Oculto
Símbolos da Nova Era e seus significados
Algumas Consequências das praticas idolatras e de ocultismo
Continue lendo...

Foi lançada a Bíblia Gay (Obra dos Anticristo)

Bíblia Gay
Deus nos deu o livre arbítrio para escolhermos o que queremos fazer ou ser, mas cada um e responsável pelo que faz e sofre as consequências do que fez, mas e terrível ver ativistas gays modificando um livros sagrado que instrui para o beneficio das pessoas a sua praticas erradas é imorais, isso e terrivelmente prejudicial e os resultados possivelmente será visto no futuro, leia a matéria abaixo!
Foi lançada a Bíblia Gay “Bíblia Rainha James”. Qual será a próxima Bíblia a ser lançada?
Como foi amplamente divulgado pela imprensa nessa semana, ativistas gays resolveram lançar sua própria Bíblia, onde, principalmente, os versos que condenam a prática homossexual foram “reeditados” para mostrar às pessoas que não existe condenação alguma da parte de Deus à prática homossexual (segundo essa Bíblia). Essa Bíblia foi batizada de “Queen James Bible” – (Bíblia Rainha James). O nome faz alusão à “King James Bible” (Bíblia Rei James), batizada originalmente em referência ao rei James da Inglaterra, que autorizou a primeira tradução para o inglês mais de 400 anos atrás. Como sempre desqualificar algo ou alguém parece ser a forma de afirmarem suas convicções.
Que os ativistas gays travam uma batalha contra aquilo que a Bíblia diz a respeito de suas práticas, todo mundo já sabe. Porém, essa iniciativa deles foi bem ousada agora. Apesar de terem sido ousados, a iniciativa apenas demonstrou claramente que eles fizeram uma manipulação dos textos para encaixar sua filosofia de vida e ficarem com sua consciência tranquila – Se já estivessem tranquilos por que precisariam fazer uma tradução da Bíblia adaptada aos seus interesses? Além disso, demonstrou também que, apesar de eles negarem, e até de certa forma rejeitarem a Bíblia, parece que a Palavra de Deus ainda cumpre o seu papel na vida do ser humano, incomodando o coração e confrontando o pecado, assim como disse o profeta Isaías a respeito da Palavra de Deus:“assim será a palavra que sair da minha boca: não voltará para mim vazia, mas fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a designei.” (Isaías 55.11)
Vejo que essa iniciativa dos ativistas gays abre um longo caminho para que qualquer pessoa faça a sua própria tradução da Bíblia, conforme suas convicções. Assim, imagino que nos próximos anos poderemos ter Bíblias no mercado que sejam também reeditadas para que expressem a “verdade” de que Deus não vê com maus olhos o egoísmo, a avareza, a jactância (orgulho), a arrogância, a blasfêmia, a desobediência aos pais, a ingratidão, a irreverência, o desafeiçoado (sem amor), o implacável (cruel), o caluniador, o sem domínio de si, o inimigo do bem, a traição, o atrevido, o enfatuado (orgulhoso), o mais amigo dos prazeres que amigo de Deus, a prostituição, a impureza, a paixão lasciva, o desejo maligno, a ira, a indignação, a maldade, a maledicência, a linguagem obscena do falar, a mentira, a lascívia, a idolatria, a feitiçaria, a inimizade, a porfia (discussão, briga), o ciúme, a ira, a discórdia, a dissensão, a facção (divisão), a inveja, a bebedice, as glutonarias, a insensibilidade, a palavra torpe (palavrão), a amargura, a cólera, a gritaria, a malícia, a rebeldia, a impiedade, a profanação, o parricídio, o matricídio, o homicídio, o rapto de homens, o perjuro (jurar falsamente), a injustiça, o adultério, o maldizer… (2Tm 3. 1-4; Cl 3. 5-9; Gl 5. 19-21; Ef 4. 19-32; 1Tm 1. 9-10; 1Co 6. 9-11)
Todas essas coisas estão descritas nessa nossa tal Bíblia Sagrada, que tem sido odiada por muitos pelo fato de confrontar o homem em seus erros, a fim de que se volte à vontade de Deus. Porém, o homem prefere tapar seus ouvidos e criar a sua própria palavra conforme foi visto na iniciativa dos ativistas gays.
Autor: André Sanchez
Fonte: http://colunas.gospelmais.com.br
Assunto relacionado:
O que a Palavra de Deus diz
Para responder a essa pergunta, leia você mesmo o que o apóstolo Paulo disse em 1 Coríntios 6:9, 10: “O quê! Não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não sejais desencaminhados. Nem fornicadores, nem idólatras, nem adúlteros, nem homens mantidos para propósitos desnaturais [“prostitutos”, New International Version; “efeminados”, Almeida], nem homens que se deitam com homens [“sodomitas”, Matos Soares; “pervertidos homossexuais”, Today’s English Version], nem ladrões, nem gananciosos, nem beberrões, nem injuriadores, nem extorsores herdarão o reino de Deus.” Note que Paulo especificamente mencionou os que, pelo visto, assumem um papel sexual passivo e os que assumem um papel “masculino”, mais ativo, em suas relações imorais. Assim ele deixou claro que Deus desaprova todos os atos homossexuais.
Isso também fica patente das palavras de Paulo em Romanos 1:18-27: “O furor de Deus está sendo revelado desde o céu contra toda a impiedade e injustiça dos homens que suprimem a verdade de modo injusto . . . Deus, em harmonia com os desejos dos seus corações, entregou-os à impureza, para que os seus corpos fossem desonrados entre si . . . É por isso que Deus os entregou a ignominiosos apetites sexuais, pois tanto as suas fêmeas trocaram o uso natural de si mesmas por outro contrário à natureza; e, igualmente, até os varões abandonaram o uso natural da fêmea e ficaram violentamente inflamados na sua concupiscência de uns para com os outros, machos com machos, praticando o que é obsceno.” Aqui Paulo condenou especificamente tanto homens como mulheres homossexuais. Ele condenou as práticas homossexuais como desnaturais e ‘obscenas’.
Continue lendo...

Os cristãos devem odiar os homossexuais?

mmm
EM 1969 cunhou-se em inglês uma palavra que descreve um medo ou aversão irracional a homossexuais. “Homofobia”, em português. Muitos idiomas não têm uma palavra específica para isso, contudo, durante milhares de anos, pessoas de muitas nações e línguas têm demonstrado aversão aos homossexuais.
Porém, em tempos mais recentes, a homossexualidade tem sido amplamente promovida como simples forma alternativa de expressão sexual. O historiador Jerry Z. Muller escreveu recentemente que há “um clamor crescente por reconhecimento público e respeito à homossexualidade”. Explicou que os homossexuais “cada vez mais se unem para louvar as suas práticas, e exigir que outros também o façam”. Isso acontece especialmente nos países ocidentais. Todavia, em grande parte do mundo, mesmo em países considerados liberais, muitos ainda condenam e rejeitam a homossexualidade.
Os homossexuais, ou os que se suspeita que o sejam, são muitas vezes alvos de comentários depreciativos, molestamento e violência. Até líderes religiosos têm manifestado esse ódio. Alguns iniciaram o que parece ser sua cruzada pessoal contra os homossexuais. Por exemplo, veja os comentários de um bispo da Igreja Ortodoxa Grega, recentemente divulgados na rádio nacional da Grécia. Ele declarou: “Deus queimará os homossexuais para sempre nas profundezas ardentes do inferno. Os gritos de sua boca sórdida ressoarão por toda a eternidade. Seu corpo perverso experimentará tormento insuportável.” Será que isso é verdade? O que Deus acha dos homossexuais?
O conceito de Deus
A Bíblia não enquadra os homossexuais como grupo a ser particularmente repudiado ou odiado pelos cristãos. Além disso, ela não diz que Deus os punirá — nem qualquer outra de suas criaturas — queimando-os num inferno de fogo para sempre. — Note Romanos 6:23.
Porém, as Escrituras de fato apresentam as normas de moral de nosso Criador, as quais muitas vezes são contrárias aos conceitos de moral da atualidade. Os atos homossexuais, o sexo heterossexual entre pessoas não-casadas e a bestialidade são práticas condenadas na Bíblia. (Êxodo 22:19; Efésios 5:3-5) Deus destruiu Sodoma e Gomorra por causa dessas práticas sexuais. — Gênesis 13:13; 18:20; 19:4, 5, 24, 25.
Com respeito a atos homossexuais, a Palavra de Deus diz claramente: “[Isto] é uma abominação.” (Levítico 18:22, A Bíblia de Jerusalém) A Lei de Deus para Israel determinava: “Quando um homem se deita com um macho assim como alguém se deita com uma mulher, ambos realmente fazem algo detestável. Sem falta devem ser mortos.” (Levítico 20:13) A mesma punição recebiam os que praticavam bestialidade, incesto e adultério. — Levítico 20:10-12, 14-17.
O apóstolo Paulo foi inspirado a descrever os atos homossexuais como expressões de “ignominiosos apetites sexuais” e ‘contrários à natureza’. Ele escreveu: “É por isso que Deus os entregou a ignominiosos apetites sexuais, pois tanto as suas fêmeas trocaram o uso natural de si mesmas por outro contrário à natureza; e, igualmente, até os varões abandonaram o uso natural da fêmea e ficaram violentamente inflamados na sua concupiscência de uns para com os outros, machos com machos, praticando o que é obsceno e recebendo em si mesmos a plena recompensa, que se devia ao seu erro. E assim como não aprovaram reter Deus com um conhecimento exato, Deus entregou-os a um estado mental reprovado, para fazerem as coisas que não são próprias.” — Romanos 1:26-28.
As Escrituras não dão desculpas, não fazem concessões e nem deixam margem para dúvida: as práticas homossexuais, o adultério e a fornicação são atos repulsivos para Deus. Em conformidade com isso, os cristãos verdadeiros não diluem o conceito da Bíblia sobre os “ignominiosos apetites sexuais” apenas para se tornarem mais populares ou aceitáveis à cultura moderna. Tampouco concordam com qualquer movimento de promoção da homossexualidade como estilo de vida normal.
“Odiai o que é mau”
A Bíblia exorta: “Ó vós amantes de Jeová, odiai o que é mau.” (Salmo 97:10) Assim, espera-se que os cristãos odeiem todas as práticas que violam as leis de Jeová. Alguns demonstram maior aversão ou repulsa à homossexualidade do que a outros tipos de imoralidade, encarando-a como perversão sexual desnatural. Mas, devem os cristãos odiar as pessoas que praticam tais atos?
O salmista lança alguma luz sobre o assunto no Salmo 139:21, 22: “Acaso não odeio os que te odeiam intensamente, ó Jeová, e não tenho aversão aos que se revoltam contra ti? Odeio-os com ódio consumado. Tornaram-se para mim verdadeiros inimigos.” Nossa lealdade a Jeová e aos seus princípios deve criar em nós uma forte aversão aos que deliberadamente se revoltam contra Jeová e tomam posição como inimigos de Deus. Satanás e seus demônios são alguns desses inimigos declarados de Deus. É provável que alguns humanos também se enquadrem nessa categoria. Contudo, pode ser muito difícil para um cristão identificar essas pessoas pela aparência. Não podemos ler o coração. (Jeremias 17:9, 10) Seria errado presumir que alguém que pratica coisas erradas seja um inimigo incorrigível de Deus. Em muitos casos, o transgressor simplesmente não conhece as normas de Deus.
Assim, de modo geral, os cristãos não se precipitam em odiar outras pessoas. Mesmo quando abominam fortemente certos estilos de vida, não procuram ferir outros, nem os tratam com rancor ou maldade. Em vez disso, a Bíblia aconselha os cristãos a serem “pacíficos para com todos os homens”. — Romanos 12:9, 17-19.
“Deus não é parcial”
Jeová perdoa a pessoa que realmente se arrepende, não importa que espécie de imoralidade ela talvez tenha praticado. Não há evidência de que Jeová encare uma forma de imoralidade como pior do que outra. “Deus não é parcial.” (Atos 10:34, 35) Considere o exemplo da congregação de Corinto, no primeiro século, a quem o apóstolo Paulo escreveu: “Nem fornicadores, nem idólatras, nem adúlteros, nem homens mantidos para propósitos desnaturais, nem homens que se deitam com homens, nem ladrões, nem gananciosos, nem beberrões, nem injuriadores, nem extorsores herdarão o reino de Deus.” Daí, Paulo mencionou que alguns anteriores fornicadores, adúlteros, homossexuais e ladrões haviam sido aceitos na congregação cristã em Corinto. Ele explicou: “E, no entanto, isso é o que fostes alguns de vós. Mas vós fostes lavados, mas vós fostes santificados, mas vós fostes declarados justos no nome de nosso Senhor Jesus Cristo e com o espírito de nosso Deus.” — 1 Coríntios 6:9-11.
Naturalmente, Jeová não tolera a violação contínua e persistente de suas perfeitas normas de moral. Ele definitivamente odeia o desrespeito obstinado a seus princípios. Mas ele mantém aberta a porta para a reconciliação. (Salmo 86:5; Isaías 55:7) Em harmonia com isso, os cristãos não tratam os homossexuais, nem qualquer outra pessoa, com má vontade, ridicularizando-a ou importunando-a. Os cristãos verdadeiros encaram as outras pessoas como discípulos de Cristo em potencial, e as tratam com respeito e dignidade. A Bíblia diz: “Isto é excelente e aceitável à vista de nosso Salvador, Deus, cuja vontade é que toda sorte de homens sejam salvos e venham a ter um conhecimento exato da verdade.” — 1 Timóteo 2:3, 4.
Os cristãos acolhem os arrependidos
Vez após vez a Bíblia declara que Deus é perdoador. Ela o descreve como “Deus de atos de perdão, clemente e misericordioso, vagaroso em irar-se e abundante em benevolência”. (Neemias 9:17; Ezequiel 33:11; 2 Pedro 3:9) A Bíblia também o compara com o pai da parábola de Jesus sobre o filho pródigo, que desperdiçou sua herança levando uma vida devassa numa terra distante. O pai recebeu o filho de braços abertos quando esse finalmente caiu em si, arrependeu-se e voltou para casa. — Lucas 15:11-24.
De fato, é possível que um transgressor mude. As Escrituras confirmam isso e incentivam todos a se livrarem da velha personalidade e se revestirem duma nova, e a ‘serem feitos novos na força que ativa a mente’. (Efésios 4:22-24) Aqueles que praticam o que é mau, incluindo os homossexuais, podem fazer mudanças drásticas em seu modo de pensar e em seu comportamento, e muitos, de fato, têm tido êxito em fazer essa transformação. O próprio Jesus pregou a pessoas como essas e, quando elas demonstraram arrependimento, tornaram-se aceitáveis a ele. — Mateus 21:31, 32.
Os cristãos acolhem pessoas arrependidas de diversas camadas sociais. Depois de abandonarem práticas imorais, não importa quais tenham sido, todas podem desfrutar dos plenos benefícios do perdão de Deus, porque “Jeová é bom para com todos, e suas misericórdias estão sobre todos os seus trabalhos”. — Salmo 145:9.
Os cristãos estão prontos a oferecer o apoio espiritual necessário, até mesmo àqueles que ainda lutam contra inclinações homossexuais. Isso está em harmonia com a demonstração de amor do próprio Deus, pois a Bíblia diz: “Deus recomenda a nós o seu próprio amor, por Cristo ter morrido por nós enquanto éramos ainda pecadores.” — Romanos 5:8.
Continue lendo...

O Experimento Russo de Privação do Sono

O Experimento Russo de Privação do Sono [Falso, porém Assustador]

O Experimento Russo de Privação do Sono
Essa estória começou a circular pela internet em meados de 2010, depois sumiu por algum tempo, tendo retornado esse ano.
Então, sem mais, eis aqui:

O EXPERIMENTO RUSSO DO SONO

Pesquisadores Russos, no fim dos anos 40, deixaram cinco pessoas acordadas por quinze dias, usando para isso um gás experimental estimulante. Eles foram mantidos em um ambiente selado, e monitorando o oxigênio deles, para que o gás não os matasse, já que possuía altos níveis de toxina concentrada. Para observá-los, havia um circuito interno de câmeras com microfones de cinco polegadas e pequenas janelas de vigia dentro do ambiente. O compartimento estava cheia de livros e cobertores, mas sem colchões, água corrente e banheiro; também havia ração desidratada para todos os cinco, suficiente para um mês.
O Experimento Russo de Privação do Sono 2
As cobaias do teste eram prisioneiros políticos declarados inimigos do Estado durante a Segunda Guerra Mundial.

Tudo estava bem nos primeiros cinco dias, as cobaias dificilmente reclamavam, já que haviam sido avisados (falsamente) de que seriam libertadas se participassem do teste e não dormissem por 30 dias. Suas conversas e atividades eram monitoradas, e foi notado que elas conversavam constantemente sobre incidentes traumáticos no passado, sendo que o tom geral da conversa tomou um tom sombrio a partir do quarto dia.

Depois de cinco dias, as cobaias começaram a reclamar das circunstâncias e eventos que os trouxeram à atual e começaram a demonstrar paranóia severa. Elas pararam de falar umas com as outras e começaram a sussurar alternadamente nos microfones e a bater nas janelas. Estranhamente eles pensavam que poderiam conseguir a confiança dos cientistas ao se tornarem colegas, e tentavam conquistá-los. No começo, os pesquisadores suspeitaram que se tratava de algum efeito secundário do gás…

Depois de nove dias, um deles começou a gritar. Corria por toda a extensão da câmara gritando a plenos pulmões por três horas seguidas. Ele continuou a gritar, mas depois de algum tempo só conseguia produzir grunhidos. Os pesquisadores acreditaram que ele conseguira fisicamente romper as próprias cordas vocais. 

O mais surpreendente nesse comportamento foi como os outros reagiram a ele… ou melhor, não reagiram. Eles continuaram a sussurrar nos microfones até que finalmente outro prisioneiro começou a gritar. Os que não gritavam pegaram os livros disponíveis, arrancando página atrás de página e começaram a colá-las sobre o vidro das vigias usando as próprias fezes. Os gritos logo pararam.

Mais três dias se passaram. Os pesquisadores checavam os microfones de hora em hora para ter certeza de que funcionavam, já que pensavam ser impossível que cinco pessoas, naquelas condições não poderiam estar em total silêncio. O consumo de oxigênio indicava que pessoas ainda estavam vivas. 

Na verdade, acontecera um aumento no índice de oxigênio, indicando um nível condizente ao consumo após exercícios pesados. Na manhã do décimo quarto dia, os pesquisadores usaram um interfone dentro da câmara, esperando alguma reação dos prisioneiros, que não estavam dando sinais de vida. Os cientistas acreditavam que eles estavam mortos ou vegetando.
Estamos abrindo a câmara para testar os microfones, fiquem longe da porta e deitem no chão ou atiraremos. A colaboração dará a um de vocês liberdade imediata.” explicou um dos cientistas.
Para a surpresa de todos, alguém respondeu calmamente em uma única frase: “Não queremos mais sair.”
Discussões se iniciaram entre os pesquisadores e as forças militares que idealizaram a experiência. Não obtendo mais resposta alguma através do interfone, foi finalmente decidido abrir a porta à meia-noite do décimo quinto dia.

O gás estimulante foi retirado da câmara e substituído por ar fresco, imediatamente vozes vindas dos microfones começaram a reclamar. Três vozes diferentes imploravam pela volta do gás, como se pedissem para que poupassem a vida de alguém que amassem. 

A câmara foi aberta e soldados entraram para retirar as cobaias. Elas começaram a gritar mais alto do que nunca, e o mesmo fizeram os soldados quando viram o que tinha dentro. Quatro das cinco cobaias estavam vivas, embora ninguém pudesse descrever o estado deles como “vivos”.

As rações a partir do quinto dia não haviam sido tocadas. Havia pedaços de carne vindas do peito e das pernas tapando o ralo no centro da câmara, bloqueando-o e deixando 4 polegadas de água acumulando no chão. Nunca determinou-se o quanto dessa água era na verdade sangue.
O Experimento Russo de Privação do Sono 3
Os quatro “sobreviventes” do teste também tinham grandes porções de músculo e pele extraídos de seus corpos. A destruição da carne e ossos expostos na ponta de seus dedos indicava que as feridas foram feitas à mão, e não por dentes como se pensava inicialmente. 

Um exame mais delicado na posição das feridas indicou que alguns, senão todos, ferimentos foram auto-induzidos.

Os órgãos abdominais abaixo da costela das quatro cobaias haviam sido removidos. Enquanto o coração, pulmões e diafrágma estavam no lugar, a pele e a maioria dos órgãos ligados à costela haviam sido extirpados, expondo os pulmões através delas. 

Todos os vasos sanguíneos e órgãos remanescentes permaneceram intactos, eles só haviam sido retirados e colocados no chão, rodeando os corpos eviscerados, mas ainda vivos das cobaias. Podia-se ver o trato digestivo dos quatro trabalhando, digerindo comida. Logo ficou aparente que o que estava sendo digerido era a própria carne que eles haviam arrancado e comido durante os dias.

A maioria dos soldados ali presentes eram membros das operações especiais russas, mas muitos se recusaram a voltar à câmara e remover as cobaias. Elas continuaram a gritar para serem deixadas ali e também pediam para que o gás voltasse.

Para a surpresa de todos, as cobaias ainda lutaram durante o processo de serem removidas da câmara. Um dos soldados russos morreu ao ter sua gargante cortada, e outro foi gravemente ferido ao ter seus testículos arrancados e uma artéria da sua perna atingida pelos dentes de uma das cobaias. Outros cinco soldados perderam suas vidas, se você contar que se suicidaram semanas após o incidente.

Durante a luta, um dos quatro sobreviventes teve seu baço rompido, e ele começou a perder muito sangue. Os pesquisadores médicos tentaram sedá-lo mas foi impossível. Ele havia sido injetado com mais de dez vezes a dose normal de morfina para humanos e ainda lutava como um animal, quebrando as costelas e o braço de um médico. 

Houve um ponto em que seu coração bateu forte por dois minutos, após ele ter sangrado tanto a ponto de ter mais ar em seu sistema vascular do que sangue. Mesmo depois do coração ter parado, ele ainda continuava a gritar e a lutar por três minutos, gritando a palavra “MAIS” sem parar até ficar fraco e finalmente calar-se.

O terceiro sobrevivente estava muito contido e foi levado para um consultório, os outros dois com as cordas vocais intactas continuavam a implorar pelo gás para serem mantidos acordados…

O mais ferido dos três foi levado para a única sala cirúrgica que havia. Durante o processo de preparar a cobaia para receber seus órgãos de volta, foi descoberto que ela era totalmente imune ao sedativo que estavam dando a ele.

O homem lutou furiosamente contra as amarras que o prendiam à cama quando trouxeram gás anestésico para sedá-lo. Ele conseguiu rasgar mais de 4 polegadas de couro das amarras de um dos pulsos, mesmo com um soldado de 90 quilos segurando o mesmo pulso. 

Levou mais do que o necessário de anastésico para sedá-lo, e na mesma hora em que suas pálpebras se fecharam, seu coração parou. Na autópsia foi reveleado que seu sangue possuía o triplo do normal de oxigênio. Os músculos que estavam presos aos seus ossos estavam destruídos, e ele havia fraturado nove ossos na luta para não ser sedado. A maioria pela força que seus próprios músculos haviam exercido.

O segundo sobrevivente era o primeiro que começara a gritar. Suas cordas vocais estavam destruídas, e ele não era capaz de gritar e implorar para não passar por cirurgia, e a única forma de reação que ele exibia era sacudir sua cabeça violentamente em desaprovação quando o gás anestésico foi trazido. Ele balançou sua cabeça positivamente quando alguém sugeriu, relutantemente, se os médicos aceitavam fazer a cirurgia sem a anestesia. 

O sobrevivente não reagiu durante as seis horas de procedimentos para repor seus órgãos e tentar cobrí-los com o que restou de pele. O cirurgião de plantão repetia várias vezes que não era medicamente possível o paciente estar vivo. Uma enfermeira aterrorizada que assistiu à cirurgia constatou que vira a boca do paciente virar um sorriso toda vez que seus olhos se encontraram.
O Experimento Russo de Privação do Sono 4
Quando a cirurgia acabou, o paciente olhou para o cirurgião e começou a grunhir alto, tentando falar enquanto lutava. Acreditando ser algo de extrema importância, o médico pegou uma caneta e papel para que o sobrevivente escrevesse sua mensagem, “Continue cortando.”

Os outros dois sobreviventes passaram pela mesma cirurgia, os dois sem anestésico. Mas ambos tiverem um paralisante injetado durante a operação, pois o cirurgião achou impossível continuar o procedimento enquanto os pacientes riam histericamente. Uma vez paralisados, as cobaias só podiam acompanhar o procedimento com os olhos, mas logo o efeito do paralisante passou e em questão de segundos eles começaram a lutar contra suas amarras.

Quando perceberam que podiam falar novamente, começaram a pedir pelo gás estimulante. Os pesquisadores tentaram perguntar por que eles haviam se ferido, por que haviam arrancado as próprias entranhas, e por que queriam tanto o gás.

Uma única resposta foi dada: “Eu preciso ficar acordado.

Todas as três cobaias sobreviventes foram colocadas de volta na câmara, enquando esperavam alguma resposta para o que seria feito com elas. Os pesquisadores, encarando a ira dos “benfeitores” militares, por terem falhado em seus objetivos, consideraram eutanásia aos pacientes. 

O comandante do processo, um ex-KGB, viu algumas possibilidades, e quis que as cobaias fossem colocadas novamente sob o gás estimulante. Os pesquisadores se recusaram fortemente, mas não tiveram escolha.

Em preparação para serem seladas novamente na câmara, as cobaias foram conectadas a um monitor EEG, e tiveram suas extremidades acolchoadas em troca do confinamento. Para a surpresa de todos, todos os três pararam de lutar assim que souberam que seriam colocados de volta ao gás.

Era óbvio que até aquele ponto, os três estavam lutando para ficarem acordados. Um dos sobreviventes que podia falar estava cantarolando alto e continuosamente; a cobaia calada estava tentando soltar suas pernas das amarras com toda a sua força; primeiro a esquerda, depois a direita, depois a esquerda novamente, como se quisesse se focar em algo.

A cobaia restante estava mantendo sua cabeça longe de seu travesseiro e piscando rapidamente. Como fora o primeiro a ser conectado ao EEG, a maioria dos pesquisadores estava monitorando suas ondas cerebrais. Elas estavam normais na maioria das vezes, mas às vezes se tornavam uma linha reta, sem explicação.

Era como se ele estivesse sofrendo mortes cerebrais constantes. Enquanto se focavam no papel que o monitor soltava, apenas uma enfermeira viu os olhos do paciente se fecharem assim que sua cabeça atingiu o travesseiro. Suas ondas cerebrais mudaram para aquelas de sono profundo e então tornaram-se uma linha reta pela última vez enquanto seu coração parava na mesma hora.

A única cobaia que podia falar começou a gritar. Suas ondas cerebrais mostravam as mesmas linhas retas que o paciente que acabara de morrer. O comandante deu a ordem para ser selado dentro da câmara com as duas cobaias e mais três pesquisadores. Assim que entraram na câmara, um dos pesquisadores pegou sua arma e atirou entre os olhos do comandante, depois voltou para a cobaia muda e também atirou em sua cabeça.
O Experimento Russo de Privação do Sono 5
Ele apontou sua arma para o paciente restante, ainda preso à cama enquanto os outros pesquisadores saíam da sala. “Eu não quero ficar preso aqui com essas coisas! Não com você!” ele gritou para o homem amarrado “O que é você?” ele ordenou “Eu preciso saber!
Você se esqueceu?” O paciente perguntou “Nós somos você. Nós somos a loucura que vaga em todos vocês, implorando para sermos soltos toda vez dentro de sua mente animal. Nós somos aquilo de que vocês se escondem em suas camas toda noite. Nós somos aquilo que vocês sedaram no silêncio e paralisam quando vocês atingem o paraíso noturno do qual não podem sair.
O pesquisador ficou quieto. E então mirou no coração do paciente e atirou.
O EEG tornou-se uma linha reta enquanto o paciente gaguejava “tão…perto…livre…



Essa creepypasta supostamente faz parte de um livro publicado em 1998, em russo, após as aberturas dos arquivos da KGB em 1995. O livro descrevia vários arquivos relacionado as operações secretas realizadas na época da antiga União Soviética. Logicamente, por se tratar de uma lenda urbana, nada disso pode ser confirmado, muito menos podemos dizer até que ponto essa narrativa é verdadeira ou se há algo de real nela. Em alguns fóruns a autoria do texto é atribuída a rodrigo31, colaborador de um site de fanfictions.

Todavia, outros afirmam que a data de entrada da história em alguns fóruns é anterior a data de entrada da história no site de fanfiction, o que leva ao prolongamento da discussão sobre a autoria e veracidade da obra.

O recorde registrado no Guiness Book para o maior tempo possível de privação de sono registrado é de 11 dias. Após este recorde ter sido registrado o Guiness retirou qualquer registro para não estumular outras pessoas a tentar algo semelhante. Segundo a maioria dos médicos, qualquer período de privação acima de cinco dias pode representar um perigo para a saúde.

Agora quanto a estória…

Existem teorias a respeito da relação sono-espiritualidade… algumas religiões atestam que a humanidade possui uma espécie de “centelha divina”. Um tipo de pré-disposição que permitiria ascender espiritualmente rumo a uma condição de existência superior. Algumas tradições sustentam que através da privação completa dos sentidos é possível acessar esse estado superior, divino. Essa estória parece se basear nessas teorias.

As cobaias privadas artifialmente de seu sono teriam de alguma maneira se aproximado após quinze dias de privação do sono, desse estágio e por essa razão desejavam continuar e transcender… ao menos é a interpretação que tenho dessa estória bizarra.

Experiências curiosas envolvendo Privação de Sentidos (não apenas do sono) foram realmente realizadas ao redor do mundo… raramente se sabe o que os cientistas por trás dessas experiências desejavam atingir.
Talvez seja melhor não saber…



VERDADEIRO OU FALSO?
Se você já leu nosso artigo sobre as características do hoax, deve ter percebido que esse texto tem várias características de um boato eletrônico:
  • Não cita nomes dos envolvidos (ninguém para confirmar a história)
  • O fato ocorrido há muito tempo
  • Teria ocorrido bem longe daqui
  • Não cita nenhuma fonte
  • É confuso e inconsistente
  • Trata de um assunto que chama a atenção do maior numero de pessoas

Fatos

Durante a Segunda Guerra Mundial, vários médicos realizaram inúmeras experiências em prisioneiros do regime nazista nos campos de concentração. Os experimentos – fatais em sua maioria – iam desde testes com a exposição a vários tipos de gases tóxicos até ao congelamento das “cobaias”. Milhões de prisioneiros morreram vítimas dessas atrocidades, de doenças, de fome e/ou de sede…
Muitos desses médicos foram processados anos mais tarde. Como podemos ver nesse resumo da Harvad Law School Library, alguns foram condenados pelos seus crimes e alguns foram absolvidos.
Não há como confirmar (ou negar) que no meio de tantas experiências (grande parte delas nem vieram a publico ainda) algum nazista tenha tido a ideia de privar alguns “inimigos do Estado” do sono. Também fica uma brecha temporal no artigo quando é afirmado que o fato teria ocorrido “no final dos anos 40”. É aí que o autor desse relato que apareceu na web encaixou o seu conto de ficção.
Será que foram conduzidas experiências semelhantes também na Rússia?
Outra questão que surge no texto é:
Que gás foi usado no experimento? O autor não explica.
Em algumas versões, o texto cita o “Nikolayev Gas”, mas também não encontramos nada sobre esse gás a não ser em sites e blogs que republicaram essa mesma história.
Como já foi mencionado nos parágrafos anteriores, foram inúmeras as experiências envolvendo vários tipos de gases, mas não há como precisar quais seriam eles.
O texto sobre o experimento russo do sono foi criado em 2010 por um autor anônimo em um site especializado em creepypastas (contos bizarros com histórias paranormais com o intuito de chocar ou causar desconforto ao leitor). Daí, o conto se espalhou pela web [Fonte].
Fonte | Enviado por Cheila Peruzzo
Continue lendo...

Como os buracos negros se formam?

Os buracos negros são objetos os mais exóticos e assustadores no Universo.
Pegue a massa de uma estrela inteira. Comprima-a em um objeto tão compacto que a força da gravidade desafia a compreensão.
Como os buracos negros se formam
Nada, nem mesmo a luz, pode escapar da força da gravidade de um buraco negro.

A ideia foi concebida pela primeira vez no século 18 pelo geólogo John Mitchell. Ele percebeu que se você pudesse comprimir o sol para baixo em várias ordens de magnitude, teria uma gravidade tão forte que você precisaria estar indo mais rápido do que a velocidade da luz para escapar dele.

Inicialmente, os buracos negros eram considerados nada mais do que conceitos matemáticos abstratos; mesmo Einstein assumiu que eles, na verdade, não existiam. Mas em 1931, o astrônomo Chandrasekhar calculou que certas estrelas de alta massa poderiam ser capazes de entrar em colapso em buracos negros, afinal.

Eles acabaram por serem reais, e ao longo das próximas décadas, os astrônomos encontraram muitos exemplos no universo.

Estrelas são mantidas em perfeito equilíbrio por duas forças opostas. Há a pressão imposta pela gravidade, tentando esmagar a estrela, contrariando a pressão imitida pelo interior da estrela.

No núcleo das estrelas, milhões de toneladas de hidrogênio são convertidas em hélio a cada segundo, liberando radiação gama. Este processo de fusão é uma reação exotérmica, o que significa que liberta mais energia do que usa.

Quando a estrela consome todo seu hidrogênio, ela muda para os estoques de hélio que ela tenha acumulado. Depois que o Hélio acaba, ela muda para carbono, e, em seguida, para oxigênio.

A estrela continua a bombear radiação, o que equilibra as forças gravitacionais tentando comprimi-la.

Estrelas com a massa do nosso Sol praticamente param por aí. Não é enorme o suficiente para continuar a reação de fusão, além de oxigênio, e tornam-se uma anã branca.

Mas para estrelas com cerca de 5 vezes a massa do Sol, o processo de fusão continua, para cima da tabela periódica de silício, alumínio, potássio, e assim por diante, até a ferro.

A partir daí, a estrela não consegue realizar fusão nuclear e então entra em colapso.

E assim, em uma fração de segundos, a radiação da estrela se apaga. Sem essa pressão da radiação, a gravidade vence e a estrela implode. Uma massa inteira da estrela colapsa em um volume cada vez menor de espaço.

A velocidade que você precisa para escapar da força gravitacional da estrela sobe, até que nem mesmo a luz está indo rápido o suficiente para escapar.
E é assim que você forma um buraco negro.

Bem, essa é a forma principal.

Você também pode obter os buracos negros quando objetos densos, como estrelas de nêutrons, colidem umas com as outras.

E depois há os buracos negros supermassivos no centro de cada galáxia. E para ser honesto, os astrônomos ainda não sabem como esses monstros são formados.
.
Artigo traduzido do site Universe Today
Continue lendo...

ESCURECIMENTO GLOBAL, PALESTRA GRAVADA PELA SAIAN PRODUÇÕES

ESCURECIMENTO GLOBAL

PALESTRA GRAVADA PELA SAIAN PRODUÇÕES
meteoro 3
Continue lendo...

VEJA TAMBÉM!

 
Copyright © 2016 SAIBA TA NA NET • All Rights Reserved.
Template Design by ORIGINAIS OADM • Powered by Blogger
back to top